A comissão da Câmara dos Deputados criada para acompanhar os desdobramentos das mortes do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Philips quer ouvir, na próxima terça-feira (12), o ministro da Justiça, Anderson Torres.

O convite foi aprovado em reunião do grupo nesta quarta (06), a primeira após a diligência realizada em conjunto com um grupo de senadores no Vale do Javari, terra indígena em que a dupla morreu há pouco mais de um mês. O Ministério da Justiça ainda não confirmou presença.

A ideia dos deputados é expor ao ministro os relatos de lideranças indígenas da região, que denunciaram o desmonte da atuação da Funai na área, e cobraram a saída de Ricardo Xavier, atual presidente, do cargo. As comissões da Câmara e do Senado que acompanham o caso aprovaram requerimento do senador Fabiano Contarato (PT-ES) para recomendar que Torres afaste o atual chefe da Funai do cargo.

Anderson Torres já havia sido convidado a falar no Senado sobre as mortes de Bruno e Dom, mas não compareceu – a audiência fora marcada para o mesmo dia em que o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso, no mês passado.

No relatório elaborado após a visita no Vale do Javari na semana passada, a deputada Vivi Reis (PSOL-PA) aponta a necessidade de pressionar o governo para esclarecimento da morte de outro agente da Funai, Maxciel Pereira dos Santos, em 2019, também na região em que morreram Bruno e Dom. O documento também fala em “desmonte” da instituição e cobra medidas de segurança para proteger os indígenas que atuam no território e que vivem sob constante ameaça.

Por Editoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.