União dos Povos Indígenas cobra celeridade nas buscas de indigenista e jornalista

União dos Povos Indígenas cobra celeridade nas buscas de indigenista e jornalista


A União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) divulgou uma nota, nesta terça-feira (7), cobrando celeridade ao governo brasileiro nas buscas pelo indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips, correspondente do jornal “The Guardian”, que estão desaparecidos desde o último domingo (5) no Vale do Javari, no Amazonas. A organização também afirma que dois suspeitos foram detidos.

“A principal informação que temos até agora é de que a Polícia Civil deteve dois dos principais suspeitos de estarem envolvidos com o desaparecimento (pescadores identificados apenas por Churrasco e Jâneo) no início da noite de segunda-feira. Ambos foram levados para a cidade de Atalaia do Norte para prestar esclarecimentos”.

Em seguida, segundo informação da Univaja, os suspeitos foram liberados e um terceiro suspeito estaria foragido.

A nota afirma que desde a segunda-feira (6), a equipe da UNIVAJA “estabele articulações e solicita pedidos para que as instituições que operam na fronteira pudessem ampliar as buscas que a organização indígena já tinha iniciado no domingo (5)”.

O documento é assinado em conjunto com o Observatório dos Direitos Humanos dos Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato (Opi), a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB) e a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB).

“Com exceção de 6 policiais militares e uma equipe da Funai, que iniciaram as buscas ainda ontem junto com a equipe da UNIVAJA, as informações acerca do cenário das buscas revelam omissão dos órgãos federais de proteção e segurança, assim como das Forças Armadas”, diz o documento.

O manifesto pede ainda a ampliação nas buscas com uso de helicópteros, ampliação da equipe e do número de barcos.

Em nota, a Polícia Federal informa que, em reforço à equipe de buscas “foi enviada mais uma aeronave com policiais federais e integrantes do exército à região compreendida entre a frente de proteção etnoambiental itui-itauqai e o município de Atalaia do Norte/AM, região noroeste do Amazonas”.

O Comando Militar da Amazônia (CMA) afirmou que tem realizado ações emergenciais e humanitárias nas buscas pelo indigenista Bruno Araújo Pereira, servidor da FUNAI, e ao jornalista britânico Dom Phillips.

“A 16º Brigada de Infantaria de Selva tem conduzido as operações de Busca e Salvamento com, aproximadamente, 150 (cento e cinquenta) militares especialistas em operações em ambiente de selva que conhecem o terreno onde se desenvolvem as buscas. O 4º Batalhão de Aviação do Exército (4º BAvEx) somará a este esforço a capacidade aeromóvel, apoiando o deslocamento de agentes da Polícia Federal (PF) e agregando mobilidade às equipes interagências na área de operações por meio de um helicóptero.”


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.